7 Tendências do E-commerce no Pós-Pandemia

Já falamos aqui como a Covid-19 catapultou as vendas virtuais acelerando o crescimento dos e-commerces, tornando as empresas em plataforma de vendas online.
Passada a crise aguda da pandemia, ações terão que ser tomadas para  atingir seu público de maneiras mais eficientes de atraí-lo e fidelizá-lo.
Compilamos as 7 principais tendências de comércio digital necessárias para vender mais, expandir seu negócio e consolidar a autoridade da sua empresa no seu nicho de atuação.


1. Pesquisa por voz

Cada vez mais pessoas têm um assistente virtual em casa, como o Google Assistant ou Siri. Trabalhar com essas tecnologias faz com que o seu e-commerce apareça nos resultados desse tipo de pesquisa.
Por exemplo, é possível que o usuário peça uma refeição por voz e os assistentes façam o pedido diretamente nos fornecedores, o que representa uma ótima oportunidade de negócio para quem agrega essa tecnologia.
Esse recurso tem grande potencial, ainda inexplorado, para atrair e reter clientes.

2. Interatividade

Dentro do Marketing de Conteúdo, temos o conteúdo interativo, que gera mais engajamento do que qualquer outro, pois possibilita a descoberta de informações relevantes pelo usuário à medida que participa ativamente da comunicação. As lojas virtuais interativas são tendências do e-commerce, permitindo ao cliente potencial uma troca real de ações.
A realidade virtual tem possibilitado que as empresas criem experiências interativas com os usuários, como por exemplo, em segmentos de vestuário,
que permitem que as pessoas experimentem roupas do catálogo sem necessidade de presença física.
As calculadoras online também podem agregar valor ao e-commerce. Elas podem sugerir produtos aos visitantes do site com base em suas compras, oferecendo opções mais baratas ou mais caras aumentando as possibilidades de conversão e valor de compra.

 

3. Inteligência Artificial 

O aprendizado automático,integrante da Inteligência Artificial, está sendo gradualmente incorporado ao e-commerce devido à sua capacidade de identificar padrões de comportamento.
Assim, os e-commerces conseguem proporcionar melhores experiências, e sugerir produtos e serviços, inteiramente baseados nos hábitos de compra dos usuários.
Tenha um guia “Recomendações”, onde seu cliente poderá encontrar produtos com base em itens que já pesquisou ou comprou.
Além disso, seu negócio pode aumentar a eficácia durante suas campanhas de email marketing e remarketing, personalizando suas ofertas de acordo com o tipo de cliente que consome seus produtos.

4. Mobile Commerce

A cada dia cresce o acesso e compras nos e-commerces através de celulares e outros dispositivos móveis.
Para aproveitar essa tendência, além do desenvolvimento responsivo do site, você pode usar aplicativos mobile, que garantem maior praticidade e personalização.

5. Métodos de pagamento diversificados

A globalização fez com que as pessoas comprassem em outro país, tornando os métodos de pagamento mais flexíveis para possibilitar compras do exterior.
Tenha alternativas de pagamento como Pix, PayPal, Apple Pay, reduzindo as informações necessárias para transações, uma vez que, com as informações de faturamento e envio, as etapas do checkout serão mais diretas, proporcionando melhores experiências de compra.

6. Sustentabilidade 

Muito mais do que um modismo ou tendência, a consciência coletiva está em constante evolução. Todos sabem que os recursos não são ilimitados e a sustentabilidade é hoje, premissa básica de qualquer empresa séria.
Por exemplo: a grande maioria dos clientes querem receber seus produtos com menos embalagens.
Os consumidores têm preferido (até exigido): home office, inclusão e diversidade social, redução do uso de papel, embalagens biodegradáveis, matérias-primas de origem rastreável, reciclagem em todas as fases da produção, uso sustentável de energia, etc.

7. Assinatura

Muitas grandes empresas oferecem modelos de assinatura de seus produtos e serviços como drogarias, livrarias, mercados, etc.
Desta forma é muito mais fácil prever as necessidades dos usuários e ajustar  produtos e serviços.Existem também os “clubes” nos quais as pessoas, por um período pré estabelecido recebem produtos ou serviços regularmente.
Isso se aplica a quase todos os nichos: cosméticos, cerveja, leitura, tecnologia, vinhos etc.
Isso resulta no  aumento do valor que cada cliente traz para a empresa ao longo do tempo e aumenta sua previsibilidade de receita.

Conclusão

De forma alguma o distanciamento social significa o fim do comércio. Ao contrário, é a aceleração de algo que era inevitável: a expansão acelerado e irreversível do comércio eletrônico.
Essas estratégias sinalizam para onde o mercado digital está indo e quais são as necessidades e os requisitos exigidos pelos consumidores modernos dos negócios digitais.
Essas tendências do e-commerce dão uma ideia de todas as possibilidades que estão disponíveis para sua empresa continuar sendo uma possibilidade comercial rentável e produtiva, nessa nova realidade que se avizinha no pós pandemia.